São Paulo, 11 de Abril de 2017

SindimotoSP e Sedersp fecham dissídio 2016/2018 setor Dia


SindimotoSP e Sedersp fecham dissídio 2016/2018 setor Dia. Diante da crise que o setor e país enfrentam, aumento foi comemorado pelos motociclistas profissionais.



O SindimotoSP fechou a Convenção Coletiva setor Dia 2016/2018 com o Sedersp (sindicato patronal de motofrete). O documento reajusta os valores pagos aos motociclistas / ciclistas e devem ser pagos a partir de 1° de maio. Diante de fatos que mergulharam o Brasil em uma das maiores crises financeiras já enfrentadas, o aumento foi recebido com satisfação. Diante das demissões que estão acontecendo no setor, a queda do volume de entregas, entre outros fatores, o aumento reajusta piso mínimo e demais benefícios para o trabalhador.



O piso mínimo para motofretista teve aumento de 8% e passou de R$ 1.123,20 para R$ 1.213,05. O PVR subiu de R$ 7,58 para R$ 8,19, sendo também 8% a porcentagem de aumento. O aluguel da moto passou de R$ R$ 522,23 para R$ 564,00, totalizando 8% de aumento real, caso o motociclista rode até 2.520 kms por mês, caso passe desse limite, cada km excedente terá acréscimo de R$ 0,24. Já o VR passou de 12,00 para R$ 14,00, sendo esse o maior aumento: 17%. A cesta básica também emplacou aumento de R$ 60,00 para R$ 64,00.



Para o ciclista, os aumentos cravaram nos 8% passando o piso mínimo para R$ 1.166,40 (era R$ 1.080,00), o aluguel da bike subiu de R$ 352,00 para R$ 380,16 para o ciclista que rodar até 1.761 kms. Acima disso, o excedente será de R$ 0,21 por km rodado. Demais benefícios forma mantidos em ambos os casos.






fonte: Imprensa Jornal a Voz do Motoboy

<< ver outros artigos