São Paulo, 15 de Abril de 2017

Radares pistola para fiscalizar motos nas marginais já estão multando. Arrecadação, segundo estimativa da prefeitura, pode chegar a R$ 1,2 bilhão


A Prefeitura de São Paulo iniciou fiscalização com 10 radares pistola que identificam motos que excedem o limite de velocidade nas marginais Tietê e Pinheiros. O presidente do SindimotoSP Gilberto Almeida dos Santos, afirma que o principal motivo da implantação dos radares móveis é "achacar o trabalhador", além de puni-lo sem a devida orientação. "Não somos a favor da morte, pelo contrário, defendemos a redução de velocidade, porém de forma gradativa, educativa e não punitiva. Por que só agora depois da redução da velocidade os radares aparecem?", questiona.

Multas: uma indústria altamente lucrativa

O poder público municipal enfim encontrou a solução para seus problemas de arrecadação baixa em tempo de crise: multas de trânsito. Para se ter uma ideia, os cofres da Prefeitura de São Paulo fecharam 2014 com uma arrecadação recorde em multas de trânsito: R$ 898,5 milhões. Porém, o que se percebe na atual vigência do Código de Trânsito Brasileiro são abusos na aplicação delas porque os índices de redução de acidentes não acompanham nem de perto o crescente número de arrecadação com multas.

Números de como será essa fiscalização

10 equipamentos (5 em cada via) usados ao mesmo tempo.

210 Guardas Civis Metropolitanos treinados que se revezarão.

38 pontos que terão fiscalização sem horário e local definidos.



fonte: Imprensa Jornal a Voz do Motoboy

<< ver outros artigos