São Paulo, 15 de Abril de 2017

SindimotoSP e Instituto Motofrete buscam soluções para regulamentação da categoria



O SindimotoSP e o Instituto Motofrete estiveram, recentemente, em reunião no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, com o governador Geraldo Alckmin para encontrarem soluções a respeito da regularização da categoria em todo estado, que encontra-se parada devido a uma série de entraves, entre eles, baixa procura pelo Curso de 30 Horas do Contran, que é obrigatório, o pequeno número de instituições credenciadas que oferecem o curso, a pouca opção de horários de curso para o trabalhador, falta de curso via EAD (ensino à distância), que facilitaria a realização do curso em qualquer município e ainda em qualquer horário que o motofretista pudesse realizar, além de promover a expansão do curso para cidades mais afastadas, por exemplo.

Em sua defesa, o governo estadual alega precisar da alteração da lei federal que determina que a moto emplacada na categoria aluguel, possa também levar garupa, pois muitos profissionais levam esposas, filhos ou amigos para o trabalho. Outro item solicitado pelo governo paulista é a mudança da Resolução 410, do Contran, retirando a aula prática dos motociclistas, já que fizeram isso ao tirar a CNH, além de possuírem vasta experiência e, ainda, serem o menor número na questão de acidentes envolvendo motos. Em contrapartida a essas alterações e para facilitar a regulamentação, o governo paulista oferece linha de financiamento especial para motofretista com juros menores, isenção da taxa do Inmetro, curso gratuito e ainda estuda outros incentivos como isenção de impostos.


fonte: Imprensa Jornal a Voz do Motoboy

<< ver outros artigos