São Paulo, 16 de agosto de 2018

Padronização do motofrete reduz acidentes e qualifica o setor


Experiência e estudos do SindimotoSP revelam
que a categoria tende a ganhar, e muito, com a padronização
do setor porque profissionais qualificados
e motocicletas com itens de segurança reduzem
acidentes. Além disso, a padronização fica em conformidade
com a Lei Federal 12009 e as leis municipais
que alguma cidades já criaram, como São Paulo,
Osasco e Guarulhos.
Para motocicletas, a padronização prevê que
a atividade seja executada somente por motos na
cor branca e com placas vermelhas, mesmo modelo
adotado pelos táxis e vans. No caso desses veículos,
o setor de ambos os transportes só conseguiram
sanar grande parte dos problemas com a padronização.
“Estudos indicam que a moto branca é vista
a uma distância muito maior. Isso pode resultar
numa redução do número de acidentes”, diz Gilberto
Almeida dos Santos, presidente do SindimotoSP.
A padronização do motofrete indicam que o profissional
regulamentado vê a questão da educação
e segurança como assuntos sérios e essenciais para
a execução do trabalho. Isso reflete na redução dos
acidentes e mortes envolvendo esses profissionais.
A padronização também gera mais empregos, melhora
a qualidade de vida deles, diminui a clandestinidade
e aumenta a segurança pública e, além
disso, traz para à categoria incentivos fiscais como
redução de IPVA, ICMs, DPVAT, PIS, COFINS etc.

fonte: Imprensa Jornal a Voz do Motoboy

<< ver outros artigos