São Paulo, 11 de Abril de 2017

Seis milhões de motociclistas profissionais podem perder o emprego com o fim do tráfego de motos entre os carros


Em Audiência Pública que está discutindo mudanças no Código Brasileiro de Trânsito, o presidente Gil, do SindimotoSP, afirmou ser absurdo proibir passagem de motociclistas entre os corredores e que a lei, caso aprovada, pode extinguir a profissão de motofretista.

Mais de 100 especialistas sobre trânsito, representantes de órgãos públicos e de entidades da sociedade civil, participaram de audiência pública, na sede da seccional da OAB do Rio de Janeiro, promovida pela Comissão Especial da Câmara sobre a alteração do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Os deputados federais Hugo Leal (PSB/RJ), organizador da audiência pública e Sergio Brito (PSD/BA), relator do projeto, estiveram na reunião para ouvir opiniões. A mais contundente e que de fato, defendeu a permanência da liberação de motos nos corredores, foi de Gilberto Almeida so santos, o Gil, que fez uso da tribuna. Segundo o sindicalista, milhões de trabalhadores do motofrete e mototaxi perderiam seus empregos, já que a agilidade na entrega e transporte de passageiros se dá pelo uso desses espaços. " São 6 milhões de empregos diretos e mais 10 indiretos que serão extintos caso a proibição aconteça", disse Gil, como é conhecido no setor.

Essa alteração é apenas uma das dezenas que estão sendo discutidas nas audiências públicas, que precisam ter a participação da sociedade civil. Num momento que as instituições públicas não se entendem, muitas leis são criadas para satisfazer egos ou interesses particulares, deixando a população com o prejuízo, principalmente no bolso.
Gil, como alternativa para diminuição de acidentes com motos, afirmou já ter entregue para todas as autoridades públicas que discutem o assunto, medidas que reduziriam rapidamente os acidentes, como implantação de motofaixas na capital, campanhas educativas para motociclistas e sinalização de solo para motociclistas, entre outras sugestões.

A próxima reunião será dia 12 de dezembro em São Paulo. O SindimotoSP fará grande divulgação do local em breve para que os motociclistas, profissionais ou não, possam se posicionar sobre o assunto.



LEGENDA SEGUNDA FOTO: Representante Sindimoto RJ, presidente Gil do SindimotoSP, deputado federal Sergio Brito e Rodrigo Silva, presidente do Centro Educacional Instituto Motofrete

fonte: Imprensa Jornal a Voz do Motoboy

<< ver outros artigos