São Paulo, 16 de Abril de 2017

Cedatt quer continuidade da redução velocidade


Em reunião com várias instituições ligadas ao trânsito estadual, o Cedatt – Conselho Estadual para a Diminuição dos Acidentes de Trânsito e Transportes – oficializou pedido de continuidade da redução de velocidade nas principais vias da cidade a aprtir de 2017. O argumento é que a diminuição reduziu mortes na capital, segundo dados da CET, porém, o Infosiga, que mapeia os acidentes em todo Estado, contestou os números mostrados.

A reunião, que aconteceu no Palácio dos Bandeirantes na segunda quinzena de outubro, teve posicionamento duro do SindimotoSP contra essa ideia. O sindicato defende a volta da velocidade nas Marginais Tietê e Pinheiros, assim como as principais vias de São Paulo porque elas foram projetadas para dar mobilidade e rapidez no trânsito da região. O que falta, segundo o vice Presidente Nego Gerson, que esteve na reunião e falou pelo SindimotoSP, são políticas públicas para motociclistas. Gerson disse que a redução aumenta a impaciência do motorista que sai de sua faixa sem sinalizar, aproveitando uma brecha, é ai que ocorre os acidentes. O relato do vice Presidente continuou com o discurso que, o motorista, onde sabe que não tem radar, aumenta a velocidade e passa do lado da moto mais rápido, o que desconcentra o motociclista. Outros problemas apontados foram velocidade menor, maior o tempo de entrega, antes o motofretista fazia em média 15 entregas, hoje, faz 10; a necessidade de permanecer equilibrado numa velocidade menor é maior, o que muitas vezes ocorre em acidentes por conta de falta de espaço.

Para finalizar, Nego Gerson disse que os motociclistas de São Paulo precisam de motofaixa, sinalização específica para motos, campanhas educativas, bolsões de estacionamento e qualificação do setor com cursos gratuitos via prefeitura municipal.


fonte: assessoria imprensa

<< ver outros artigos