São Paulo, 15 de Abril de 2017

SindimotoSP reúne-se com Alexandre de Moraes – secretário de Segurança Pública Estado de SP


SindimotoSP reúne-se com Alexandre de Moraes – secretário de Segurança Pública Estado de SP - para solicitar mais segurança para o motociclista profissional

O companheiro Gil esteve com o secretário para reivindicar políticas públicas para o profissional do motofrete em todo estado de São Paulo. Estatísticas indicam aumento de roubo / furtos de motos, bem como violência física contra o trabalhador. Além dessa questão, foi solicitado que Alexandre de Moraes intermedie junto a outras secretarias estaduais, benefícios para o setor profissional de duas rodas que na capital concentra 220 mil motociclistas e mais de 500 mil no Estado.

A cobrança do presidente Gil junto ao governo estadual e para que se ofereça melhores condições de trabalho para o exercício da profissão







Gil, presidente do SindimotoSP, quer mais segurança para motociclista profissional nas ruas de São Paulo




Empenhado em melhorar as condições de trabalho do motofretista, mototaxista e ciclista do Estado de São Paulo, Gilberto Almeida dos Santos, o Gil, esteve com Alexandre de Moraes – secretário de Segurança Pública Estado de SP, reivindicando políticas públicas para o exercício da profissão. Na ocasião, para o conhecimento do secretário, foi explicado as demandas de representação da categoria na questão política e da representatividade dos motociclistas de São Paulo.




Os assuntos discutidos na reunião, trarão mais segurança para os trabalhadores, qualificação do setor, poderá gerar mais emprego, contribuiria para diminuição de acidentes envolvendo motociclistas e melhoraria a qualidade de vida do motociclista profissional, entre outros aspectos.

No sentido de produzir uma agenda positiva, foram discutidas pautas que podem mudar aspectos da profissão, trazer segurança entre outros (veja temas abaixo).

A reunião se fez necessário para sensibilizar o poder público estadual das necessidades do setor, bem como poderia haver incentivo a regulamentação com a possibilidade do curso de 30 Horas via online. Também falou-se do alto custo da profissão com pagamento de impostos como o IPVA, no licenciamento, e valor elevado da moto com impostos como o Iss e outros. . O SindimotoSP quer a isenção desses impostos e vem batalhando insistentemente para que não mais sejam cobrados, como já acontece com os taxistas.

O secretário Alexandre de Moraes verá as possibilidades de atender as reivindicações ou sugerir alternativas e marcará para breve nova reunião.

fonte: assessoria de imprensa

<< ver outros artigos