São Paulo, 16 de agosto de 2018

Governador Alckmin reúne secretarias e representantes do setor de trânsito para mostrar a redução dos acidentes e mortes no estado. Motociclistas ainda estão em primeiro lugar.


O número de mortes envolvendo motociclistas na cidade de São Paulo aumentou 28,6% em janeiro deste ano segundo Infosiga. Considerando ainda todos os acidentes de trânsito com óbito da cidade de São Paulo, 48,2% deles envolveram motos. No mês passado foram 27 motociclistas mortos, contra 21 em janeiro de 2017. Entre as vítimas deste ano, 15 eram homens com menos de 30 anos de idade. Ainda de acordo com o Infosiga, os homens continuam a morrer mais do que as mulheres no trânsito da capital, e representaram 78,3% dos óbitos em acidentes nas vias da cidade.

Os dados mais recentes do governo também surpreenderam em relação a quantidade de vítimas jovens - adultos de 18 a 29 anos que representavam 20% dos óbitos, mas no mês passado a porcentagem saltou para 41,1%.

A divulgação dos dados ocorreu no Palácio dos Bandeirantes em encontro do Governador Geraldo Alckmin e 10 secretárias engajadas no Movimento Paulista de segurança no Trânsito. Entre os presentes também estravam o SindimotoSP - representado pelo diretor Institucional Rodrigo Silva - a Abraciclo e outras entidades civis.

Secretarias Estaduais presentes no evento

Governo, Casa Civil, Segurança Pública, Logística e Transportes, Saúde, Direitos da Pessoa com Deficiência, Educação, Transportes Metropolitanos, Planejamento e Gestão, Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação

Estatísticas indicam que motocicletas seguem liderando acidentes

Em janeiro deste ano foram registrados 136 casos, o que corresponde a 35,1% dos óbitos em todo estado. O Infosiga SP também traça um perfil dos acidentes fatais. Jovens com idade entre 18 e 29 anos estão envolvidos em 1 de cada 3 casos. Homens são a grande maioria, correspondendo a 78% das vítimas. O período noturno, com 51,7% das ocorrências, e fins de semana (43,9%) concentram as ocorrências fatais. O Infosiga mostra ainda que 38,5% dos acidentes são colisões entre veículos e que 53,8% das óbitos ocorrem nos hospitais.

Governador Geraldo Alckmin reúne-se com SindimotoSP para ouvir necessidades atuais do setor de motofrete

Em reunião no Palácio dos Bandeirantes, o sindicato dos motoboys apresentou propostas para dar continuidade ao processo de regulamentação e criar políticas públicas para o setor de duas rodas no Estado de São Paulo.

No ofício entregue diretamente ao governador, conversou-se sobre o avanço da qualificação juntamente com padronização da categoria em âmbito estadual para que haja regulamentação de uma forma geral. O SindimotoSP afirmou um decreto governamental específico para o motofrete incentivaria todos os municípios paulistas criarem legislações municipais próprias, tornando-se o primeiro estado brasileiro a cumprir integralmente a Lei Federal 12009.

Na reunião também foi tratado:

A importância do estado legislar sobre o tema de transporte de cargas por motocicleta (motofrete), por tratar de uma atividade extremamente comercial e não de utilidade pública como o mototáxi.
Volta dos cursos de 30 horas de qualificação gratuitos para quem está entrando na profissão.
Requalificação para quem já está exercendo o ofício para renovar documentação.
Criação de linha de financiamento de moto zero padrão motofrete específica para motofretista.
Campanhas educacionais em parceria com o Detran.SP - Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, para contribuir na Década de Ação pela Segurança no Trânsito 2011-2020 da ONU – Organização das Nações Unidas.

fonte: Imprensa Jornal a Voz do Motoboy

<< ver outros artigos