São Paulo, 15 de Abril de 2017

GT municipal implantará motofaixa na Marginal Pinheiros


A faixa é destinada a circulação de motocicletas que poderão andar lado a lado na mesma faixa, diferente das antigas motofaixas da Avenida Sumaré e Rua Vergueiro em que os motociclistas só podiam andar em fila indiana. O novo trajeto também terá placas modernas, sinalização com tinta especial no solo e tratamento diferenciado das outras faixas de rolagem para carros e outros veículos. Na existência de veículo de emergência, as motocicletas darão passagem preferencial. Nesta primeira experiência, serão observados critérios de largura da via, fluxo de motos e índice de acidentes, entre outros, para, a partir daí, identificar outras vias com potencial para receber mais faixas exclusivas de moto.


A escolha para esse trecho da Marginal Pinheiros se deu pelos acessos significativos a ruas de importância na Zona Sul e tráfego intenso de motociclistas profissionais.
Conforme a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), as placas antigas nesse percurso serão trocadas por modernas, mais nítidas e que informarão também motoristas.


O estudo feito por especialistas da CET para escolher o local como pioneiro do novo sistema de motofaixa contabilizou 2.284 motocicletas circulando entre 9 e 11 horas da manhã. Na questão de acidentes, 65% dos ocorridos ali, envolveram motocicletas em 2011, 67% em 2012 e 87% em 2013, totalizando 59 colisões das mais diversas como colisão lateral com carros, na traseira do veiculo, queda acidental entre outros tipos. A soma total de acidentes, incluindo 2014, e que tiveram BO registrado pelas autoridades públicas, chegou a 80 motocicletas.


Dados coletados pelo IAT – Informações de Acidentes de Trânsito / CET, envolvendo motocicletas em 2013, mostrou que um dos principais fatores dos acidentes está na mudança de faixa, pois, a visibilidade da moto pelo motorista é prejudicada pela existência de “pontos cegos”.
Outros pontos que farão da nova motofaixa diferentes das anteriores que foram desativadas são: a definição da largura que permitirá nos trechos com volume acima de 2.000 motos por hora, circulação de motos em paralelo, a ultrapassagem poderá ser realizada na própria faixa que terá largura de cerca de 1,70m, sentido único e ininterrupto.


Elas também poderão ter, segundo à CET, menor quantidade de faixas para cruzar ao entrar bem como menor quantidade de faixas para cruzar ao sair, elimina de conflitos dentro da faixa devido à inexistência de entrelaçamento com os demais veículos, menor tempo de exposição aos “pontos cegos”. Para fiscalizar excesso de velocidade, radares fixos serão instalados.



fonte: Imprensa Jornal a Voz do Motoboy

<< ver outros artigos