São Paulo, 16 de Abril de 2017

Motociclista profissional terá empréstimo especial com menor juros do mercado


SindimotoSP e Banco do Povo Paulista querem motofretistas com motos modernas e dentro do padrão motofrete atendendo Lei Federal 12009. Entre as ações como a citada acima, menos burocracia, aumento de crédito e fim da exigência de fiador estão sendo estudadas

O objetivo da parceira entre as instituições é o prosseguimento das ações para melhorar a vida dos motociclistas profissionais com realização de ações capazes de incentivar os mecanismos já existentes de crédito produtivo popular (microcrédito) entre a Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT), enquadrando o profissional, assim, nas regras exigidas pelas legislações Federal, Municipal e Trabalhista (CLT). Segundo o SindimotoSP, isso facilita a geração de trabalho e renda, de acordo com o estabelecido na Lei nº 9.533, de 30 de abril de 1997 e no Decreto nº 43.283, de 03 de julho de 1998, além das diretrizes do Conselho de Orientação do Fundo de Investimentos de Crédito Produtivo Popular de São Paulo.

O motofretista poderá, com a parceria das instituições, financiar uma motocicleta com juros bem abaixo do mercado e assim, enquadrar-se nas leis do motofrete. A reunião, que aconteceu no início de setembro com o presidente Gilberto Almeida dos Santos (Gil), o diretor de Relações Institucionais Rodrigo Silva (ambos do SindimotoSP), o secretário de Estado do Emprego e Relações do Trabalho José Luiz Ribeiro, Marcos Wolf, diretor Executivo do Banco do Povo Paulista e a assessoria do governador Geraldo Alckmin, foi para dar continuidade a uma série de mudanças e, principalmente, melhorias no financiamento oferecido para os motofretistas pelo Banco do Povo Paulista (BPP).

Ela foi desdobramento do encontro que Gil teve com o governador Geraldo Alckmin no início de agosto em que o presidente do SindimotoSP reivindicou uma série de melhorias para os trabalhadores de motocicleta em todo o Estado de São Paulo, entre elas, a questão do financiamento. Neste encontro, Gil sugeriu que o valor do empréstimo seja aumentado e que o prazo para pagamento seja maior, mas, que a obtenção do valor solicitado seja em tempo menor, já que as vezes, o processo de liberação pode levar 60 dias ou mais.

O presidente do sindicato também pediu mais divulgação da linha de financiamento, mais unidades de atendimento em todo Estado e que, ainda, fosse instaurado estudo para que os motociclistas profissionais bons pagadores tenham o segundo crédito com maior valor, menos burocracia no empréstimo e que não precisem apresentar fiador.

Breve histórico do financiamento para motociclistas

1) O BPP emprestou no período de abril até novembro de 2012, R$ 757 mil somente na cidade de São Paulo, beneficiando diretamente 151 motofretistas.

2) O governador Geraldo Alckmin, devido a baixa inadimplência dos setor, autorizou a ampliação do limite de crédito de R$ 5 mil para R$ 6 mil em 2013.

3) Em 2014 houve redução da taxa de juros de 0,50% para 0,35% ao mês, sendo o menor do mercado para motocicletas zero.

4) Em 2016 tem entendimento para o aumento do teto do valor e prazo, ampliação da rede de atendimento, campanhas de divulgação da linha e criação de controle da inadimplência para equilíbrio financeiro das operações, entre outras melhorias em andamento.

O que pode ser financiado

- Moto branca na categoria aluguel, espécie carga.

- Kit motofrete : capacete com faixa, colete de segurança com INMETRO, Baú com faixa, protetor (mata cachorro), antena cerol, rastreador/bloqueador , faixas refletivas da moto e marcação indelével das peças que rege rastreabilidade para combate do roubo / furto no desmanche de peças da motocicletas.

- Taxas do Detran, DTP e documentação da motocicleta.

- Consertos em geral, incluindo mão-de-obra e/ou peças, com um limite de até 20% do valor da motocicleta.



fonte: Imprensa Jornal a Voz do Motoboy

<< ver outros artigos